Quem Somos



Linha Editorial



Investigar as Transformações Sociais e a Identidade Cultural dos sujeitos e territórios periféricos - essa é a linha editorial que norteia a cobertura jornalística realizada pelo Desenrola e Não Me Enrola nos bolsões populacionais das quatro regiões da cidade de São Paulo ao longo dos setes anos de sua existência.

 

A nossa equipe compreende que neste tempo histórico temos a missão de não só produzir e distribuir informação, mas também de produzir reflexões e conhecimento sobre o fazer jornalístico nas periferias.


 


Conheça as editorias do portal



Contextos Periféricos: faz investigações sobre o status quo de direitos sociais contemporâneos, como emprego e renda, educação, saúde,  cultura, entre outros, para criar uma linha cronológica com base em uma olhar histórico sobre o ‘ontem’ e o ‘hoje’, como forma de comparar o que permanece igual, melhor ou pior na saga pelo direito de existir dos moradores das periferias de São Paulo.

 


Quebrada Tech: além de contar histórias de projetos inovadores que surgem à base da produção de conhecimento em contextos periféricos, essa editoria busca mostrar como a vida dos moradores das periferias está sendo impactada por esse cenário de transformações sociais, econômicas, culturais e políticas causadas pela Transformação Digital.



Territórios Criativos: abordamos a história de projetos e eventos socioculturais que buscam debater de maneira transversal questões de gênero, raça, classe e território, a partir das lutas por direitos básicos, como saúde, moradia, cultura, educação, geração de renda, trabalho e transporte.



Panorama: traduz fatos e temas de relevância nacional, trazendo sempre um recorte sobre como esses acontecimentos impactam a vida dos moradores das periferias.


 


Nossa História

 

Começamos nossa história em 2013, inicialmente como um blog e postagens de reportagens que possuíam periodicidade semanal. A nossa linha editorial era focada em realizar uma cobertura jornalística sobre a cena cultural das periferias de São Paulo.


O blog se manteve nesse formato durante quatro anos, até se tornar um portal de notícias em 2017. Juntamente com a mudança de plataforma, vem a mudança de linha editorial, que agora se apresenta com um olhar não só para fazer cultural nas periferias, mas também para a complexidade de morar, trabalhar, conviver e sobreviver nos territórios periféricos.