Nas periferias de Ferraz de Vasconcelos, grupo no Facebook articula moradores para combater pandemia

Combater a disseminação de notícias falsas, realizar anúncios diários de comércios locais que estão funcionando com serviços de delivery e cobrar medidas de prevenção da prefeitura de Ferraz de Vasconcelos estão entra as principais ações do grupo, que tem mais de 10 mil membros e vem substituindo a necessidade de reuniões comunitárias presenciais durante o período de contenção da pandemia de coronavírus.

Por Tamires Rodrigues 10/04/2020 - 16:27 hs
Foto: Pedro Gomes
Nas periferias de Ferraz de Vasconcelos, grupo no Facebook articula moradores para combater pandemia
Nas periferias de Ferraz de Vasconcelos, grupo no Facebook articula moradores para combater pandemia

Não é de hoje que moradores das periferias de Ferraz de Vasconcelos, cidade da região metropolitana de São Paulo, tentam encontrar formas de lidar com o descaso do poder público municipal. Diante deste cenário “organizar e provocar’’ é a definição utilizada por Pedro Gomes, mais conhecido como Peter Gomes, para definir o significado da função dele no grupo de Facebook chamado “Comunidade Ferraz de Vasconcelos”, fórum de discussão comunitária que reúne moradores para debater os rumos e melhorias de serviços públicos na cidade.

Atualmente, o grupo tem 10.476 membros. Parece pouco se comparado ao último censo do IBGE que estima um número de 168.306 habitantes na cidade.  Mas o impacto que essa rede de discussões comunitárias causa na vida dos ferrazenses torna-se gigantesco, perto dos poucos recursos de participação política que esses cidadãos têm acesso.

Então como informar e reivindicar direitos de uma forma que consiga alcançar o máximo de pessoas, a fim de ouvi-las? Essa foi uma das perguntas que Peter se fez, percebendo a popularização do facebook na época. Com isso, ele resolveu criar um grupo que ajude a população a refletir, se expressar e pensar no que é bom ou ruim para a cidade.             

“Buscamos usar o espaço para informar sobre o que está acontecendo, cobrar os governantes locais, mas também entreter a população que nesse momento tem que ficar em casa”, conta ele, fazendo uma referência direta ao cenário da pandemia de coronavírus que tem assustado os moradores de Ferraz. “Também fazemos com muito bom humor para evitar que a comunidade tenha apena um olhar catastrófico.” 

Segundo Peter, os impactos das discussões são diversos e chegam ao tom de ameaças. “O que soltamos no grupo sempre vai parar nos grupos políticos, a ponto é claro, de já termos recebido ameaças diversas, processos, etc”, relata. 

Reunião comunitária virtual

Através do grupo, eles já organizaram protestos e outras ações por melhorias na cidade de Ferraz, as quais ele acredita que a rede de moradores tem força para interferir nas decisões políticas dos governantes de sua cidade. “O povo comenta muito. O povo está ligado ao grupo. É uma parcela dos moradores da cidade.”

Uma demonstração clara da força política dos moradores que fazem parte do grupo aconteceu durante a última live do prefeito de Ferraz de Vasconcelos, José Carlos Fernandes Chacon, onde ele diz: “Brasileiro está se apavorando a toa, mas uma semana e isso ai já sai de moda”. Na ocasião, o líder do executivo municipal estava reunido junto com os secretários para discutir medidas preventivas para combater o Covid-19.

Confira a live realizada pelo prefeito.

Após o ocorrido, Peter imediatamente publicou um post no grupo, dando a oportunidade dos membros apresentarem sugestões de como a prefeitura deveria combater a pandemia de coronavírus na cidade. A publicação chegou a ter até 100 comentários com forte engajamento dos moradores.

“Esse vídeo repercutiu bastante. E o grupo também partiu para o confronto direto com o Secretário da Comunicação da prefeitura, que chegou a nos ameaçar de processo. Após isso passamos a ver que passaram a tratar com mais seriedade o tema”, relata Peter. 

Logo após a intervenção dos moradores, o poder público municipal divulgou algumas medidas iniciais para lidar com o caso do Covid-19 na região. Umas delas foi emitir um decreto contratando uma empresa que vai instalar leitos de triagem e UTI em caráter emergencial na cidade. 

Peter se diz preocupado com a situação, acredita que muitas pessoas de sua cidade não se deu conta da circunstância que estam vivendo atualmente, mas segue informando e se organizando em rede, verificando a veracidade de todos os conteúdos postados no grupo para não correr o risco de disseminar nenhuma Fake News e ajudando os moradores de sua região a se adaptar com essa nova realidade.  

“Hoje estamos com um tópico tentando identificar e divulgar mercados, farmácias e outros serviços de entrega da cidade que estão funcionando, para assim evitar que as pessoas saiam de casa”, afirma o mediador do grupo. 

A importância do grupo para os moradores

Uma das integrantes desse grupo é a moradora Julia Sousa, que reside no bairro Parque Dourado. Ela conta que entrou no grupo com o objetivo de saber mais sobre sua cidade, descobrir coletivos culturais ou grupos que se articulam de alguma forma nos territórios, devido à existência de poucos meios de comunicação em atividade na cidade, que produzam esse tipo de informação.

“Na internet a gente consegue encontrar notícias sobre Ferraz vinda de grandes meios de comunicações, mas na TV onde as pessoas daqui têm o maior acesso, raramente”, afirma Sousa. Ela explica que as poucas mudanças que a cidade vem conseguindo surgem do uso dessas ações nas redes sociais e complementa: “um grupo desses é de extrema importância, para as informações chegarem até as pessoas, a internet tem essa ótima utilidade.”

Ainda Indignada com a atitude do prefeito durante a transmissão ao vivo, Julia enfatiza a importância do grupo, diante de uma cidade que está com a qualidade dos serviços públicos comprometidos. “Nossa cidade está abandonada há muitos anos. Temos um ex-prefeito preso, um que foi preso e solto, e agora esse que ninguém consegue encontrar direito,” finaliza ela, demonstrando indignação em relação a trajetória dos últimos representantes do poder público executivo da cidade.