Homenagem a Tula Pilar e Marco Pezão marcam a programação da V Feira Literária da Zona Sul

Ao longo de duas semanas, a FELIZS irá promover uma série de ações gratuitas e abertas ao público, como a caminhada literária, contação de histórias, encontros com autores, exposições, intervenções poéticas, dança e teatro, além de shows musicais, em espaços de cultura e educação do Campo Limpo e bairros vizinhos.

Por Da Redação 01/09/2019 - 17:39 hs
Foto: Will Cavagnolli
Homenagem a Tula Pilar e Marco Pezão marcam a programação da V Feira Literária da Zona Sul
Caminhada Literária realizada na quarta edição da Feira Literária da Zona Sul, em 2018.

Com o tema “Meu Corpo, Minha Marca No Mundo”, a quinta edição da Feira Literária da Zona Sul (FELIZS) acontece de 8 a 21 de setembro. Em 2019, a dramaturgia foi a linguagem escolhida pelos curadores da maior feira literária das periferias de São Paulo para permear parte das atividades da programação. A escolha tem uma ligação direta com os artistas que serão homenageados nesta edição.

Entre eles estão o escritor e dramaturgo Marco Pezão, um amante da cultura do futebol de várzea das periferias e curador do Sarau A Plenos Pulmões, que acontece mensalmente na Casa das Rosas, e a escritora e atriz Tula Pilar, uma personagem marcante na história do Sarau do Binho e da produção literária das periferias brasileiras, que faleceu em abril deste ano.

“Homenagear esses artistas é uma forma de destacar uma dramaturgia enraizada no contexto histórico do morador da periferia, um personagem que dificilmente tem seus traços, corpos e leituras de mundo retratado com fidelidade nos grandes espetáculos da indústria cultural”, explica Silvia Tavares, uma das curadoras da programação da FELIZS.

A abertura oficial do evento será realizada no domingo (8) no SESC Campo Limpo, com show da cantora e compositora Renata Rosa e de Geraldo Magela, músico, compositor e fundador do grupo Candearte, de Taboão da Serra.

Na segunda-feira (9), a dramaturgia marca presença no encontro poético promovido pelo Sarau do Binho com a apresentação de uma esquete teatral do Grupo Clariô de Teatro. Com uma série de intervenções poéticas, o sarau celebra oficialmente a abertura da FELIZS no espaço de teatro, localizado em Taboão da Serra.

Parte das atividades da FELIZS acontecerá em parceria com o SESC Campo Limpo. Lá, o espaço para a dramaturgia está garantido com rodas de conversa, intervenções de teatro com monólogos e espetáculos de dança, além de oficina de escrita literária.

Meu Corpo, Minha Marca No Mundo

Diane Padial, idealizadora da FELIZS destaca que ao completar cinco anos, o evento se torna um marco no calendário cultural da cidade e do território do Campo Limpo. “Num momento onde os apoios a projetos culturais estão cada vez mais escassos, produzir uma feira literária com mais de 100 atividades gratuitas e abertas ao público é sem dúvida nenhuma um feito histórico.”

Ela enfatiza que o fato da equipe de curadoria e de produção ser composta majoritariamente por mulheres revela a dedicação de pessoas que estão engajadas em fomentar oportunidades de transformação social por meio de encontros entre público e autores. “A nossa equipe possui uma jornada tripla e às vezes quádrupla. Somos mães, professoras, produtoras, pedagogas, artistas, e ainda assim, reservamos um horário todos os dias para nos reunir e organizar a FELIZS e ainda dar conta de outros afazeres.”

Segundo Padial, não dá para pensar a programação da FELIZS sem refletir sobre as dinâmicas sociais que impactam a vida destes corpos. “Nós escolhemos esse tema, para provocar encontros e debates que discutam questões de gênero, homofobia, gordofobia, racismo, a partir da vida e obra de cada convidado”, acrescenta.

No encerramento da FELIZS, no dia 21, a Praça do Campo Limpo será transformada em uma grande mostra de arte, com tendas literárias, shows e intervenções artísticas espalhadas por toda a extensão do espaço público. Um dos destaques será o espaço Tula Pilar, que terá uma exposição com livros, fotos e objetos sobre a vida da autora.

Literatura infantil e equipamentos públicos de educação

Para contemplar a participação de crianças e pré-adolescentes como protagonistas de suas atividades, a FELIZS promove uma série de atividades que contemplam a infância e a literatura, como contação de histórias, intervenções poéticas e espetáculos de teatro em espaços públicos e independentes de educação e cultura, como unidades do CEU, escolas e bibliotecas públicas, e organizações sociais da zona sul de São Paulo.

“A leitura é um hábito que ganha ainda mais sabor com elementos de representatividade. Nas periferias, existem várias referências de autores e autoras que, por tratarem de temas, personagens e cenários semelhantes aos vividos pelas crianças, podem despertar nelas o gosto pela leitura e escrita. Por isso, a FELIZS está construindo esse espaço de diálogo, onde elas, as crianças, terão vez e voz para compartilhar suas experiências com o livro entre outras crianças”, explica Juliana da Paz, curadora da programação de literatura infantil.

A articulação da FELIZS com espaços públicos e independentes de educação remonta ao seu ano de criação, em 2015. Para Juliana, essa é uma premissa fundamental na organização do evento. “As crianças não só consomem, mas criam também. E elas precisam de espaços para compartilhar essas vivências com os seus pares.”

Confira aqui a programação completa: www.felizs.com.br .