Somos um ponto cego na telefonia móvel de São Paulo, diz morador de Marsilac

Com apoio da plataforma Mosaico da Anatel realizamos um monitoramento sobre a qualidade de sinal de operadoras de telefonia móvel nas “Quebradas do 2G”, territórios onde o sinal de celular ainda é um desafio para a vida comunitária e a comunicação com o mundo.

Por Ronaldo Matos 10/06/2019 - 16:45 hs
Foto: Threat Post

No distrito de Marsilac, área com uma rica diversidade ambiental que integra o Pólo de Ecoturismo da cidade de São Paulo, instituído a partir da lei 15.953 de 07 de janeiro de 2014, mais de oito mil moradores convivem com o dilema de não ter acesso a um serviço de internet móvel de qualidade.

Com duzentos quilômetros quadrados de extensão territorial, representados em sua maioria por áreas verdes, o distrito não possui antenas de operadoras, segundo relatos dos moradores. A plataforma da Anatel classifica os sinais das operadoras: Tim, Oi, Claro e Nextel na região de Marsilac com baixíssima qualidade nas velocidades de transmissão de dados 4G, 3G e 2G.



Imagem oficial da plataforma da Anatel que realiza o monitoramento de sinal de telefonia móvel no Brasil.

A experiência do usuário registrada pelos moradores do bairro mostra o cenário do serviço de telefonia móvel na região. “O pouco de sinal que dá aqui é da Vivo e ainda assim é muito ruim, então a solução seria a instalação de antenas”, conta Mauro Malafaia, morador do bairro de Engenheiro Marsilac.

Para acessar o sinal da operadora Vivo, Mauro descreve que é preciso subir na parte mais alta do bairro, próxima a um campo de futebol e aguardar a conexão aparecer. Ele relembra que esta situação já o levou a pegar uma condução para ir a outro bairro para usar o celular: “é frustrante né, você ter que pegar um ônibus e ir para outro bairro para usar o sinal de celular.”

Malafaia lamenta o estado de abandono da telefonia em Marsilac enfatizando como “isso pode acontecer em pleno século vinte e um” e enfatiza que o distrito “é um ponto cego na telefonia móvel da cidade de São Paulo.”

Concentração de sinal em São Paulo 

Um mapeamento realizado pela Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), entidade que reúne mais de 100 empresas do setor do telecomunicação em todo o país, revela um enorme concentração de antenas localizadas na região central da cidade de São Paulo, demonstrando que a situação vivenciada cotidianamente por moradores do distrito de Marsilac não é novidade, se observamos com atenção o mapa de distribuição de antenas de celular, tecnicamente chamadas de Estação Rádiobase (ERB).

O levantamento atualizado a partir de dados disponibilizados pela Anatel mostra a diminuição de antenas instaladas nas regiões periféricas do município. Já nos bairros localizados na região central, é possível observar uma super concentração de antenas.

De acordo com dados do mapeamento da (Telebrasil), existem mais 6.800 antenas de celular na cidade de São Paulo. A operadora Vivo aparece com 23,65% das antenas instaladas, enquanto a Tim tem 22,74%, Claro 17,88%, Oi 23,88% e Nextel 11,85%.