Fundação Julita discute direito da mulher com intervenção cultural do grupo Zona Agbara

O evento pretende dialogar sobre os aspectos psicológicos, sociais e geopolíticos dentro do tema, trazendo fatos do cotidiano para o debate com o público presente.

Por Júlia Cruz 12/09/2017 - 15:53 hs
Foto: Sheila Signário
Fundação Julita discute direito da mulher  com intervenção cultural  do grupo Zona Agbara
Divulgação Zona Agbara

Com o objetivo de promover um encontro de mulheres e jovens, para debater se a mulher tem direito ao próprio corpo, o Núcleo de Educomunicação da Fundação Julita realiza nesta quinta-feira (14), a partir da 18h, o 4º Minifórum de Educom, no Jardim São Luís, zona sul de São Paulo. Durante a conversa, serão abordados temas que variam desde como a mulher é tratada na sociedade, até a criminalização do aborto.

Com uma intervenção artística do grupo "A Zona Agbara", o encontro vai além da troca de ideias. O grupo luta em prol da visibilidade e valorização da produção artística de mulheres negras e gordas, utilizando a dança como principal ferramenta de transgressão e afirmação estética e social nas comunidades.

Para conduzir o bate papo, haverá um time de convidadas especialistas no tema, sendo elas: Danielle Braga, psicóloga e integrante das coletivas "Fala Guerreira" e "Periferia Segue Sangrando", Sonia Coelho, assistente social e integrante da SOF – Sempreviva, e a psicóloga especialista em Gestão Hospitalar e Saúde Pública, Sidneia Mochnacz. Já a mediação do debate será feita pela cientista social, Anabela Gonçalves, atuante na articulação social e educadora no território.   

AGENDA

4º Minifórum de Educomunicação

Local: Fundação Julita

Endereço: Rua Nova do Tuparoquera, 249 - Jardim São Luís - São Paulo.

Data: 14/09

Horário: 18h30 às 21h00

Classificação Livre.