Rede Jornalistas das Periferias apresenta ao vivo programação completa da Virada Comunicação

A iniciativa da Rede Jornalistas das Periferias é voltada a estudantes e profissionais da comunicação, ativistas e movimentos sociais, moradoras e moradores das periferias da Grande São Paulo. O encontro acontece em 16 de setembro no Centro Cultural do Grajaú, região do Extremo Sul de São Paulo.

Por Da Redação 21/08/2017 - 13:23 hs
Foto: Periferia Em Movimento
Rede Jornalistas das Periferias apresenta ao vivo programação completa  da Virada Comunicação
Curso Noticimapa, Campo Limpo. Vivência no CIEJA.

A Rede Jornalistas das Periferias realiza nesta terça-feira (22), às 20h, uma transmissão ao vivo pela sua página no Facebook com a participação de representantes da Fundação Tide Setubal, Fundação Ford e Alana, organizações sociais que apoiam a Virada Comunicação e buscam o diálogo com a periferia por meio de projetos de educação, cultura e desenvolvimento urbano. Na ocasião, será apresentada a programação completa do evento e os eixos de discussão. O encontro acontece no auditório do Centro de Mídia e Comunicação Popular M´Boi Mirim, localizado no Jardim Ângela, zona sul de São Paulo.

“Idealizamos a Virada Comunicação como um marco da organização de diferentes agentes sociais que não aceitam que outros escrevam nossa história ao passo em que pautamos, contrapomos e conectamos protagonistas que constroem uma outra narrativa possível”, diz a Rede, em texto de apresentação.

O evento tem o objetivo de debater, refletir e apontar caminhos para a abordagem jornalística de temáticas do cotidiano de quem mora nas bordas da metrópole. Juntos, os 13 coletivos que compõem a Rede Jornalistas das Periferias dialogam com um público médio de 1 milhão de internautas por mês. O encontro é voltado a estudantes e profissionais da comunicação, ativistas e movimentos sociais, moradoras e moradores das periferias da Grande São Paulo. 

“A Virada da Comunicação debaterá a imagem da periferia, as desigualdades, o direito à cidade, temas alinhados com a missão da fundação”, diz Fernanda Nobre, coordenadora de comunicação da Fundação Tide Setubal, ressaltando a importância do evento para compartilhar conhecimento. “As desigualdades na cidade são complexas, as periferias são múltiplas. É preciso compartilhar saberes, dialogar e construir pontes entre diferentes territórios como forma de contribuir para a redução das desigualdades. A produção de comunicação das periferias é fundamental para essa troca.” 

Com mais de 10 horas de atividades, a Virada Comunicação mescla oficinas de comunicação, intervenções culturais e mesas de debate com a participação de 34 convidadas e convidados, que debaterão temas como a conjuntura atual das periferias, genocídio e segurança pública, questões de gênero, etnias e identidades, educação e cultura, transporte e desenvolvimento local, moradia e meio ambiente, democratização da mídia e formas de atuação na comunicação.

Laura Leal, Coordenadora de Comunicação do Alana, descreve a Virada Comunicação como uma iniciativa que valoriza o jornalismo produzido na periferia. “O jornalismo produzido nas periferias é uma ferramenta fundamental para a boa prática democrática. Ele é capaz de fomentar debates, ampliar olhares, apresentar novas vozes e diferentes pontos de vista.”

Para enriquecer ainda mais os debates que serão promovidos durante a Virada Comunicação, as organizações parceiras do evento irão fornecer dados oriundos de pesquisas sobre temas diversos voltados à periferia, como educação, cultura, infância, direito a comunicação, direito à cidade, entre outros.

Agenda

LIVE – Virada Comunicação

Facebookhttps://www.facebook.com/redejornalistasdasperiferias/

Local: Centro de Mídia e Comunicação Popular M´Boi Mirim

Endereço: Rua Thereza Silveira de Almeida, 03

Data: Terça-feira, 22 de agosto

Horário: 20h às 21h